EXPOARROZ TECH 2019

2019-05-08T14:56:53+00:00

Entre os dias 14 e 16 de maio acontecerá em Pelotas/Rs, no Centro de Eventos da Fenadoce, a Expoarroz Tech 2019: evento que promove o encontro de todos os elos da cadeia orizícola, desde fornecedores de insumos, produtores, indústrias que beneficiam o arroz e muito mais!

Representatividade da produção do arroz na região e no país

O arroz é um alimento com grande importância nutricional, como fonte de energia e nutrientes essenciais para a alimentação, ele é rico em fibras, vitaminas e sais minerais, e por isso aparece de diversas formas nas nossas mesas todos os dias.

E você sabia que o Rio Grande do Sul é responsável por 70% da produção de arroz no Brasil? Sendo esse, obviamente, um setor de extrema relevância para o desenvolvimento socioeconômico do estado.

Ao falar de economia, podemos destacar o quanto a cadeia orizícola movimenta recursos diretos e indiretos, não apenas na lavoura e indústria, mas também em serviços paralelos, como o transporte, por exemplo. Além de abastecer casas de famílias por todo o Brasil, o arroz gaúcho ainda é exportado para muitos lugares do mundo. Confira os números:

  • exportação para mais de 60 países;
  • movimenta mais de 30 bilhões de reais no Rio Grande do Sul;
  • gera trabalho e renda para mais de 50 mil famílias gaúchas, com 300 mil empregados diretos e indiretos no campo, indústria e cooperativas.

Estes números são resultado de um excelente trabalho que vem sendo executado pelo produtor e pela indústria de arroz na região, que buscam sempre se munir da mais alta tecnologia para garantir uma qualidade excepcional no produto final entregue aos consumidores.

Sobre o evento

Sendo Pelotas tradicionalmente o pólo da produção de arroz na região, ela abriga o evento que reunirá os maiores especialistas e interessados no assunto. Contando com mais de 100 expositores, e entre eles a presença de mais de 15 países participantes e 70% do mercado orizícola brasileiro – desde o campo até o supermercado – criando excelentes oportunidades para negócios e prospecção de parcerias.

Haverá também uma programação com importantes palestras e debates sobre a cultura, desde o manejo até o beneficiamento do arroz, trazendo para o público interessado tudo o que há de mais moderno no mercado e como cada atividade do setor pode se beneficiar com as novidades.

Contando com a primeira edição do Round Tech, uma rodada de negócios que irá reunir empresas de tecnologia, desenvolvedoras de ferramentas de gestão, voltadas para a cadeia produtiva do arroz. Além do 7º International Rice Round Business, onde importadores de arroz do mundo todo chegam para negociar com as empresas nacionais. Veja mais sobre o evento no site oficial.

A UNE Agro estará presente

Segundo a divulgação de um estudo no Portal da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, todas as atividades do agronegócio envolvem um grande risco, como podemos acompanhar no trecho abaixo:

A atividade agrícola tem uma diferença importante em relação a outros setores: ela depende fortemente de recursos naturais e de processos biológicos. Plantas, animais e microrganismos não se comportam com a precisão de máquinas. O clima não se repete da mesma forma de um ano para o outro e um solo fértil pode, com manejo equivocado, perder suas propriedades em alguns ciclos de produção. É uma atividade de risco.

Atualmente, esses riscos são maiores pois a agricultura contemporânea se caracteriza pelo uso intensivo do capital. Pode ser gigantesco o prejuízo financeiro com uma seca inesperada, uma geada forte, uma quebra de safra ou uma baixa repentina nos preços.

Estudo realizado em 48 países em desenvolvimento indica que 25% dos danos advindos de desastres naturais ocorridos entre 2003 e 2013 recaíram sobre a agropecuária, causando prejuízos de US$ 70 bilhões. Estima-se que 44% dessas perdas foram causadas por secas e 39% por enchentes.

Todos os anos centenas de milhares de produtores, que possuem uma verdadeira devoção às suas lavouras, são prejudicados por excesso de chuvas, granizos e/ou ventos fortes. Nestas situações possuir um seguro faz a diferença entre uma retomada rápida ou amargar meses de trabalhos jogados fora.

Rogério Irala, Engenheiro Agrônomo e especialista em seguros rurais, recomenda: “Uma vez que não conseguimos controlar o clima e as mudanças climáticas estão cada vez piores, o foco deve ser no que depende de nós. Escolher proteger a lavoura destes fenômenos e de outros como: temperaturas baixas, geadas, estiagem e incêndio é a decisão inteligente a ser tomada.”

O seguro rural é, portanto, um dos instrumentos fundamentais para a produção agrícola ou pecuária, pois protege o produtor de possíveis perdas causadas por fenômenos adversos da natureza que podem ser graves e irreversíveis. O produtor precisa proteger o trabalho árduo, tempo, dedicação e dinheiro investidos para a construção do patrimônio rural.

Por isso, a UNE Corretora de Seguros é uma importante aliada em todas as etapas deste grande elo da cadeia produtiva do arroz, oferecendo soluções inteligentes para proteção e investimentos, as quais trarão a segurança necessária para a produção.

Sobretudo, não poderíamos ficar de fora deste evento tão significativo para os produtores da região. Procure o nosso stand na Expoarroz Tech 2019 e conheça os diferenciais da UNE Agro. Nos encontramos lá! #VemPraUNE